Bolsonaro 2: Deputado Federal mostra os seus preconceitos no Twitter


O deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) afirmou nessa quarta-feira (30), em sua página no Twitter, que os africanos são descendentes de um “ancestral amaldiçoado por Noé” e que sobre a África repousa maldições como o paganismo, misérias, doenças e a fome.

“Africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé. Isso é fato. O motivo da maldição é polêmica. Não sejam irresponsáveis twitters rsss”, diz a mensagem postada no perfil do deputado –após a reportagem contatar assessoria de Feliciano, a mensagem foi apagada (veja a reprodução na imagem acima).

Na sequência, Feliciano, que é pastor evangélico e empresário, afirma: “sobre o continente africano repousa a maldição do paganismo, ocultismo, misérias, doenças oriundas de lá: ebola, Aids. Fome…”

Antes, o pastor evangélico disse que a maldição sobre a África supostamente provém do “1º ato de homossexualismo da história”. “Sendo possivelmente o 1o. Ato de homossexualismo da história. A maldição de Noé sobre canaã toca seus descendentes diretos, os africanos”, afirmou também.

Em entrevista por telefone, Feliciano disse que as mensagens foram publicadas por assessores, sem a sua aprovação. O parlamentar afirmou também que não considera as mensagens racistas. “Não foi racista. É uma questão teológica”, disse. “O caso do continente africano é sui generis: quase todas as seitas satânicas, de vodu, são oriundas de lá. Essas doenças, como a Aids, são todas provenientes da África”, acrescentou.

Hoje, quase 20h depois das declarações, o deputado negou ser racista também no Twitter. “Tenho raízes negras como todos os brasileiros. Bem como dos índios e também europeus! Rejeito essas calunias infames! Aqui não seus desalmados”, disse Feliciano.

Marco Feliciano foi eleito deputado federal nas eleições do ano passado, com mais de 211 mil votos, e diz ter 30 mil seguidores no Twitter. “Sou afrodescendente, meu nariz é largo, meu cabelo é crespo. Tenho apoio do líder do movimento dos negros, pastor Albert Silva, de São Paulo”, defendeu-se.

No perfil do deputado no Twitter, há também várias mensagens direcionadas a homossexuais. O deputado afirma que vários internautas da comunidade gay o perseguem e convoca os “cristãos” a despejarem mensagens nas páginas de seus críticos. Em seguida, o parlamentar listou uma série de usuários do Twitter que supostamente o atacam.

Fonte: Uol


Virou moda agora é?

Assista ao novo clipe – ‘E.T’ – de Katy Perry com participação de Kanye West


Foi divulgado o clipe da música “E.T” de Katy Perry. O novo single tem participação especial do rapper Kanye West e foi dirigido por Floria Sigismondi, que já trabalhou com Christina Aguilera. Antes de ser lançado, Katy publicava algumas imagens da produção, mostrando os efeitos da maquiagem e os bastidores com Kanye.

Veja o clipe “E.T”.

Fonte: Globo

Alexandre Mortágua rebate crítica de Bolsonaro à sua homossexualidade


Em entrevista a uma rádio paulista na manhã desta quinta-feira, 31, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) atacou Alexandre Mortágua, filho da ex-modelo Cristina Mortágua com o ex-jogador Edmundo.

À rádio, Jair, que essa semana iniciou uma polêmica ao xingar os gays e dizer que não gostaria que seu filho namorasse uma mulher negra, disse que Alexandre é homossexual por causa do meio em que viveu.

“Ele mesmo falou que para ele foi tudo muito fácil porque, desde criança, todas as amizades da mãe dele eram gays e só conversavam sobre homem, e ele disse que participava dessas conversas e acabou experimentando”, disse o deputado sobre Alexandre.

Ao saber da declaração de Jair Bolsonaro, Alexandre mandou uma nota através de seu assessor de imprensa: “Não disse que foi o meio que me fez experimentar. Ele disse que não entendeu a pergunta do CQC (ele teria dito à emissora que seus filhos não correm o risco de namorar uma mulher negra porque “foram muito bem educados”, mas depois disse que se confundiu com a pergunta e se referia a gays) e por isso fez aquela infeliz declaração provando o quanto é racista e preconceituoso. Agora eu acho que ele tem sérios problemas com interpretação de texto”, disse.

“Falei que em casa tudo aconteceu naturalmente. Não foi por causa das conversas da minha mãe. Essas conversas quebraram o tabu sobre a homossexualidade. Virou um assunto fácil de conversar, de se lidar.”

O adolescente de 16 anos também rebateu os comentários de Bolsonaro sobre Preta Gil, que recebeu dele uma resposta preconceituosa ao ser questionado sobre a possibilidade de seu filho namorar uma muher negra. A resposta dada pelo deputado à cantora fará com que ela mova um processo contra Bolsonaro.

“Pra mim, preconceito é retardo mental de um nível absurdo onde a pessoa não tem condições de assumir um cargo político ou uma posição de tamanha importância na política nacional”, dispara Alexandre. “Se ele continuar a se meter comigo, coloco o nome dele na macumba!”, continuou. Mais cedo, ele fez outras ameaças a Bolsonaro no Twitter.

Sobre o episódio envolvendo Bolsonaro e Preta Gil, Mortagua apoia a decisão da cantora em processar o político. “Ele foi infeliz, não merece o cargo para o qual foi eleito. Eu desejo que o filho dele se descubra gay e se apaixone por um gay negro e decida se casar com ele. Assim, esse senhor vai sentir na pele todo o mal de pessoas preconceituosas como ele. Enquanto a pedra é atirada no teto do vizinho, a gente esquece que todos temos telhado de vidro!”, finaliza.

Fonte: Globo